Hackers invadiram sistema do TRE na semana antes do segundo turno

Por Rafael Rodrigues da Silva | 08 de Novembro de 2018 às 20h40

De acordo com apuração do TecMundo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teve seu sistema invadido por hackers na semana anterior ao segundo turno das eleições presidenciais, que ocorreram no dia 28 de outubro. Além de documentos, os hackers tiveram acesso a uma série de informações confidenciais, como troca de e-mails entre funcionários do TSE, envios de senhas para juízes e credenciais de acesso ao sistema.

O principal sistema acessado foi o GEDAI, que é um gerenciador de dados, aplicativos e interface com a urna eletrônica, sendo responsável não só por gerenciar o envio dos dados das urnas eletrônicas como também as correspondências para os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Apesar de terem acesso quase irrestrito ao sistema, os invasores não conseguiram quebrar a segurança do módulo de sigilo do voto, então é impossível que eles tenham utilizado essa invasão para tentar manipular a votação.

Segundo o depoimento de um dos hackers responsáveis pela invasão, eles conseguiram o acesso ao sistema através de falhas existentes em aplicações desenvolvidas pelo próprio TSE, que permitiam o acesso à rede através de qualquer computador que estivesse conectado à internet. Ele também relata que, mesmo depois de suspeitarem que alguém estava invadindo os computadores do servidor e reforçar a segurança do sistema, ele conseguiu continuar acessando os computadores do Tribunal explorando a mesma falha.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O TecMundo recebeu no fim de outubro uma série de documentos retirados do sistema, que apresentavam linhas de código do GEDAI e senhas de servidores do Tribunal. Os documentos já foram enviados para comprovação de veracidade pelo TSE, que ainda não deu um parecer oficial sobre o caso. Apesar disso, a equipe do JOTA (publicação especializada na cobertura das instituições públicas brasileiras) conseguiu confirmar que o TSE já fez uma primeira averiguação dos documentos e confirmou que são verdadeiros.

Fonte: TecMundo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.