Retrospectiva 2018: Novas tecnologias e as tendências para autenticação em 2019

Por Lucas Vieira | 21 de Dezembro de 2018 às 15h57

Machine learning, Inteligência Artificial, Self-driving-cars, criptocoins, coinminer malwares, Data hack, Moral machine, Electric cars, voice commands, realidade virtual e realidade aumentada são os temas escolhidos para minha retrospectiva de 2018, um ano de descobertas, criações, inovações, crescimento e fortalecimento da cultura digital. Questões tão retratadas em filmes de ficção científica, agora ao alcance da voz, um amadurecimento incrível dos métodos de criação e desenvolvimento de estruturas cognitivas nas máquinas que aprenderam a nos aprender.

Uma verdadeira revolução do uso das mais avançadas tecnologias para o alcance de quem quiser e conseguir utilizar. O ano de 2018 foi realmente para quem buscou entender e se preparar para a chegada das máquinas, onde demos o start para uma era na qual muitos trabalhos repetitivos serão extintos e seremos conduzidos por dados extraídos de inteligências multi-tarefas. Tudo nos trouxe para este momento; nossa dependência do consumo virtual e a típica falta de conhecimento com o que usamos (os manuais nos mandam lembranças).

Em 2019, a esperança de fazer funcionar a famosa Internet das Coisas - IoT, com uma rede global de internet capaz de transitar um volume absurdo de dados em boa velocidade – 5G –, além da transição do IPv4 para IPv6, trará ao nosso mundo, uma realidade cada vez mais próxima da virtual.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Internet das Coisas permite que façamos operações remotas, apesar de ainda haver um problema a ser resolvido quanto à segurança das conexões com estes dispositivos existem soluções que não estão distantes de nós, como o Certificado Digital – Arquivopadrão X.509 de criptografia assíncrona usado para assinar, criptografar e autenticar seu titular.

Instituído no Brasil pela MP2.200-2/2001 – em nuvem, que permite que o usuário possa se conectar sendo autenticado diretamente por aplicativo no smartphone, o que resolveria um problema de identificação da pessoa que realiza uma tarefa, solicitando para sua torradeira começar a assar o pão, por exemplo.

A Certificação Digital em nuvem já é utilizada no Brasil por grandes instituições e hospitais para resolver outros tipos de problemas internos, e para o consumidor final, pode ter aplicações que vão muito além de um uso familiar. Isso porque este tipo de Certificado tem o poder de substituir a assinatura física em papel e seu consequente reconhecimento de firma em cartório. Um bom exemplo de uso e aplicação é o da Receita Federal que disponibiliza um sítio na internet para o usuário consultar e transmitir dados ao órgão sem necessidade de comparecer fisicamente portando documentos de identificação, tampouco autenticações em cartórios.

Chamamos este tipo de ação de Não-repúdio e Validade Jurídica, uma vez que não há necessidade de terceiros intervirem no processo para garantirem sua legitimidade. Imagine alugar sua casa com uma assinatura online, pois isso já é possível e viável.

Vamos andar 10 anos à frente e olhar para 2018 como a descoberta dessa nova era do digital. Agora nos resta decidir que tipo de olhar nostálgico teremos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.